• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 2922
    Mercado » quarta-feira, 11 de março de 2009 »
    Petrobrás e Marinha firmam convênio de R$ 78 milhões

    Comandante da Marinha, Almirante Júlio Soares de Moura Neto, e o presidente da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Haroldo Lima

    Comandante da Marinha, Almirante Júlio Soares de Moura Neto, e o presidente da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Haroldo Lima

    A Petrobras investirá R$ 78 milhões na modernização dos Centros de Instrução da Marinha brasileira. Resultado de um termo de cooperação assinado dia 16 de fevereiro de 2009, para a modernização e reestruturação dos centros Almirante Graça Aranha (CIAGA – RJ) e Almirante Braz de Aguiar (CIABA – PA). A iniciativa permitirá um aumento no número de vagas do concurso, a aquisição de novos equipamentos, a modernização dos laboratórios e simuladores, a contratação de mais instrutores, reforma e ampliação das instalações (salas de aula, alojamentos, camarotes, banheiros, cozinhas e refeitórios).

    Nos últimos anos com a expansão das atividades marítimas, principalmente as ligadas à exploração e produção de petróleo, a frota mercante brasileira tem sido renovada e ampliada. A procura por mão-de-obra intensificou-se e os grandes centros de formação CIAGA e CIABA não estão conseguindo suprir essa escassez. Segundo o Contra-Almirante José Carlos Mathias, atualmente, as escolas militares formam 475 novos profissionais por ano. Após a conclusão dos projetos incluídos no termo de cooperação, estimado em três anos, pretende-se formar 810 alunos a cada ano.

    O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, não descarta a possibilidade da iniciativa ser ampliada em outras ações similares, podendo fazer outros convênios para suprir necessidades futuras.
    Haroldo Lima, diretor da ANP (Agência Nacional de Petróleo), explica que a iniciativa irá beneficiar o setor como um todo, e não apenas a Petrobras. “A mão-de-obra será formada também para as empresas privadas que exploram o petróleo em alto-mar”, disse.

    Já o comandante da Marinha, Almirante Júlio Soares de Moura Neto, destacou a necessidade de que, paralelamente aos investimentos em mão-de-obra e na compra de novas embarcações pelo setor privado, a Marinha também vai precisar de recursos para modernizar sua frota e, assim, proteger a costa brasileira.

    por Al. Souza Mattos

    Comentários

    1. Gomes disse:

      Só uma pequena observação: encontrei matérias semelhantes que tratavam desse aumento de vagas, uma delas publicou que se formavam hoje em dia 770 oficiais por ano e no término das obras se formariam 1450. Achei um pouco estranho e não vejo como a EFOMM (CIAGA + CIABA + ASOM, etc) formarem 770 pessoas.
      Acredito que a notícia do Pelicano está correta, no caso só aumentariam 350 vagas.

      Boa matéria.

    Outras matérias interessantes...

    2ª PARTE
    Em nosso 2º dia de visita ao Aalesund University College, na Noruega, fomos apresentados ao professor Eide, que nos deu uma rápida palestra sobre a faculdade de Tecnologias e Operações Marinhas, na qual se […]

    Visita à Noruega – Parte 210 de setembro de 2013
    Visita à Noruega – Parte 19 de setembro de 2013