• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 1777
    Curiosidades, EFOMM, Mercado, Mundo, Navios » sexta-feira, 31 de maio de 2013 »
    O GNL (Gás Natural Liquefeito) é o futuro para o transporte marítimo

    Em um período de 5 anos, os navios abastecidos com gás natural liquefeito podem aumentar até dez vezes, afirmou Jaakko Eskola, chefe da Waertsilae Oyj, empresa localizada em Helsinki.  Entre cerca de 800 e 1.000 navios vão usar esse combustível até 2015, disse ele, devido as regras anti-poluição que obrigam os proprietários a mudarem para o combustível de queima limpa.

    GNLOs navios serão obrigados a cortar as emissões de óxido de enxofre em algumas regiões para 0,1 por cento a partir de janeiro de 2015, abaixo de 1 por cento hoje, como estipulado pela Organização Marítima Internacional, a divisão de transporte marítimo das Nações Unidas. Enquanto isso, o GNL produz quase nenhum dos poluentes e também tem a vantagem de reduzir as emissões de carbono em 25 por cento, disse Eskola

    A indústria naval queima entre 200 milhões e 250 milhões de toneladas por ano de óleo combustível pesado, de acordo com a Internacional Bunker Industry Association sediada na Inglaterra. Portanto, os donos de navios já estão agindo para reduzir as emissões e também para reduzir os custos de combustível, já que uma tonelada de GNL no Reino Unido custa cerca de US$ 400, comparado com US$ 495,12 de petróleo.

    l_finlandia-lngship-16novEskola também detalhou que, atualmente, existem cerca de 100 navios de GNL em operação, incluindo navios de serviço offshore, navios de passageiros e navios que transportam o combustível.

    É importante ressaltar que a Waertsilae Oyj, fabricante de motores a gás natural, soluções de biopower e sistemas de propulsão completos, abastece o Royal Caribbean Cruises Ltd.’s Allure of the Seas, o maior navio para cruzeiros do mundo. Além disso, a empresa finlandesa está desenvolvendo o primeiro petroleiro do mundo que irão consumir o gás líquido, e também está trabalhando com a Samsung Heavy Industries Co. sediada em Seul para projetar uma das maiores classes de navio mercante para que ele possa circular a GNL.

    image

     

     

    Comentários