• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 3771
    Mercado, Mundo, Navios » sexta-feira, 21 de maio de 2010 »
    Promef: a nova era da indústria naval brasileira

     A necessidade de modernizar e aumentar sua frota de navios para atingir a meta de atender à Petrobrás em 100% na cabotagem e em  50% no longo curso, levou a Transpetro a estruturar um programa capaz de contribuir para a consolidação de uma industria naval moderna e competitiva.

    Batimento de quilha do primeiro navio do Promef

    Batimento de quilha do primeiro navio do Promef

    Criado em 2004, o Programa de Modernização e Expansão da frota (Promef) revitaliza a industria naval brasileira, a partir da encomenda de 49 navios que irão complementar a frota da Transpetro, que já conta com 52 navios, até 2014. O programa baseia-se em três premissas essenciais: construir navios no Brasil, alcançar um nível mínimo de nacionalização (65% na primeira fase e 70% na segunda), e oferecer condições para os estaleiros nacionais conquistarem competitividade em nível global.

    Este é um dos principais projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Já gerou 15 mil empregos diretos, e este número chegará a 40 mil até a sua conclusão, além dos 160 mil empregos indiretos, totalizando 200 mil novos postos de trabalho.

    O Promef já teve uma primeira fase, lançada em 2005, quando foram licitados 26 navios. A segunda etapa teve licitação aberta em meados de 2009 e ainda está em andamento, prevê a construção de 23 embarcações, considerando uma compra direta do Metal Tanque VI, do Estaleiro Itajaí. A terceira fase levará em conta o aumento da produção de petróleo e gás advindos dos campos do pré-sal, a entrada em funcionamento das quatro novas refinarias do nordeste (Pernambuco, Ceará, Maranhão e Rio Grande do Norte) e do Comperj, Complexo Químico em Itaboraí, no Grande Rio.

    Navio no Estaleiro Atlântico Sul - Pernambuco

    Navio no Estaleiro Atlântico Sul - Pernambuco

    Dos 49 navios, 33 já foram licitados. Os 16 restantes estão em análise de propostas técnicas e financeiras, serão encomendados 8 navios gaseiros e 8 navios de produtos.

    Dentre as encomendas contratadas temos: 10 navios Suezmax (160.000 TPB), 5 navios Aframax (110.000 TPB), 4 navios Aliviadores Suezmax DP (Posicionamento Dinâmico) e 3 navios Aliviadores Aframax DP, no Estaleiro Atlântico Sul; 4 navios Panamax (73.000 TPB) no Estaleiro Ilha S.A.; 4 navios de produtos (48.000 TPB) no Estaleiro Mauá; 3 navios de bunker (combustível marítimo) da Industria Superpesa.

    O reaquecimento da industria naval brasileira atinge direta e indiretamente diversos setores da economia, além da forte dimensão social. Os milhares de novos empregos gerados transformam uma simples proposta de trabalho em uma nova perspectiva de futuro graças ao estímulo à especialização e ao aprendizado incentivados pelo Promef e pelas empresas parceiras do programa.

    Al. Camila Reis e Al. Lopes

    Mais informações: www.transpetro.com.br

    Comentários

    1. Nilton Alexandre Neves disse:

      Ótima matéria sobre a nova era da indústria naval.

    2. Rafael Vital disse:

      Achei o artigo muito interessente.È muito bom que ter pessoas interessadas no assunto,aptos a nos informar.

    3. Maria da Conceição Lopes disse:

      Excelente matéria, informação muito bem detalhada, é bom saber que a indústria naval está dando a volta por cima e gerando muitos empregos, parabéns à Al.Camila Reis e ao Al. Lopes.