• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 8956
    Mercado » terça-feira, 6 de janeiro de 2009 »
    Entenda o Programa de Modernização e Expansão da Frota de navios da Transpetro, PROMEF

    Presidente Lula participa de cerimônia que dá início à execução do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), da Transpetro

    Presidente Lula participa de cerimônia que dá início à execução do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), da Transpetro. Foto © Presidência da República.

    Com o Programa de Modernização e Expansão da Frota de navios da Transpetro (PROMEF), a indústria brasileira tenta reconquistar sua antiga participação no mercado internacional. O presidente da Transpetro, Sergio Machado, afirma que a indústria vive uma realidade inversa à dos anos 90. Segundo ele, para apagar duas décadas de estagnação é preciso uma modernização em todo setor naval.

    A indústria naval vive tempos de esperança e credibilidade, visto que, duas décadas atrás, as empresas não conseguiam reter os recém-formados e hoje já os contratam antes de concluírem o curso. José Menezes Filho, gerente da Inspetoria Marítima da Diretoria de Transporte Marítimo, ressalta: “Há 15 anos, os centros de instrução formavam um reduzido número de oficiais, uma vez que o desemprego no setor desestimulava o interesse pela carreira”.

    A Transpetro possui uma frota de 52 navios aptos a transportar seus produtos. Como essas embarcações possuem idade média de 23 anos, até 2014 esse número cairá para apenas 19 navios petroleiros.

    O Promef foi lançado em 2004 e tem como objetivo encomendar a construção de 146 embarcações e 49 navios, custando um total de US$ 5 bilhões. Isso vai proporcionar novas vagas para aproximadamente 3.800 tripulantes.

    O Plano foi dividido em duas fases:

    Presidente Lula participa de cerimônia de assinatura de contrato de construção de navios da Transpetro. Foto © Presidência da República.

    Presidente Lula participa de cerimônia de assinatura de contrato de construção de navios da Transpetro. Foto © Presidência da República.

    As 146 embarcações visam dar suporte às diversas atividades necessárias à extração de petróleo, como o manuseio de âncoras de grande porte das plataformas (54 embarcações), reboque (10), envio de suprimentos (64) e embarcações voltadas para recolhimento de óleo no caso de vazamento (18), conforme exigido pelo IBAMA.

    No dia 30 de novembro de 2007, faltavam apenas 3 navios gaseiros para a finalização da primeira fase do plano, onde US$ 2,5 bilhões foram investidos.

    A segunda fase do projeto, Promef II, foi iniciada em um evento realizado no Rio de Janeiro no dia 26 de maio, contanto com a presença do Presidente da República além do governador do Estado e do prefeito municipal. “Materializado o Programa de Modernização e Expansão da frota, a Transpetro pretende escrever as próximas linhas dessa história, da qual se extraía uma indústria naval forte, mergulhada numa nova era de prosperidade e desenvolvimento”, disse Sergio Machado, Presidente da Transpetro.

    Um pouco de história

    A indústria naval teve altos e baixos marcados por períodos distintos na história do Brasil. Durante as décadas de 60 e 70, o Brasil atingiu seu ápice na construção de navios e conquistou o segundo lugar na indústria naval mundial, exportando para países como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, França e Grécia e oferecendo 40 mil empregos diretos e indiretos. Em 1961 o estaleiro Mauá com recursos do Fundo de Marinha Mercante construiu o primeiro navio cargueiro, batizado de Ponta de Areia. O objetivo do Fundo era financiar a construção de novos navios, o que seria o marco inicial para um futuro próspero.

    Infelizmente com o tempo a situação foi se denegrindo. Diversos impasses nos anos que se seguiram fizeram com que o quadro se invertesse deixando a indústria naval com sua produção praticamente estagnada.

    Saiba mais

    Mídia impressa

    • Jornal transpetro ano 5 nº 77 / abril de 2008
    • Jornal transpetro ano 5 nº 79 / junho de 2008
    • Jornal transpetro ano 5 nº 81 / julho de 2008
    • Transpetro edição especial.

    por contribuidor civil Renan Braga

    Comentários

    1. Raoni disse:

      Matéria muito boa, gostei muito!

    2. Renan Braga disse:

      Raoni, obrigado por comentar, pois assim vejo o resultado do meu trabalho e isso é algo que empolga a qualquer escritor.

      Meu objetivo foi mostrar que mesmo com essa crise mundial, a marinha mercante se desenvolve e nós, futuros mercantes, só temos o que ganhar.

    3. Mariana Cardozo disse:

      Parabéns Renan!
      Adorei a matéria.

    4. CLC Moreira Neto disse:

      Parabens Renan !!!
      A matéria ficou excelente.
      Além de dar uma ótima informação ao público, ao mesmo tempo “clareia a barra” dos jovens oficiais que estão concluindo o curso, daqueles que permanecerão mais algum tempo e ainda daqueles que desejam entrar agora a escola, mostrando a todos que o horizonte está “uma navalha” (bastante claro).
      Quero acrescentar ainda que outras empresas, tanto de off-shore quanto de navegação também estão encomendando embarcações.
      Neste setor, não devemos nos preocupar, o mercado de trabalho está ótimo.
      Abraços.

    5. Renan Braga disse:

      Obrigado mais uma vez e pude perceber que a resposta foi a que eu nao esperava e isso me empolga cada vez mais. Próxima matéria será uma entrevista com o comandante Moreira Neto sobre as mudanças que a marinha mercante vem sofrendo e um pouco mais sobre a vida a bordo. Essa matéria só entrará ao ar após a adaptação, para que o jornal nao fuja do seu foco.

    6. Agnaldo Pereira Goes disse:

      A matéria esta muito boa parabens pelo trabalho.

    7. Thiago Bourguiñon disse:

      Parabéns pela matéria com bastante informação. O trabalho está bom abessa!

    8. José Carlos disse:

      Muito boas as reportagens!

    9. wagner de oliveira disse:

      parabens gostei de mais, muito bom!

    10. Roberto Gonçalves da Silva disse:

      Parebéns!.

    11. charlem gurjão cruz disse:

      Eu acho que hoje, a transpetro tem que melhorar a suas frota, pra aumentar a qantidades de vaga de empegos de maritimo .