• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 1531
    Cultura, Curiosidades » sábado, 9 de março de 2013 »
    Heróis da Marinha Mercante: CLC Ernesto Calandrini de Azevedo Matos

    A série Heróis da Marinha Mercante chega ao fim essa semana. Durante um mês, o Jornal Pelicano trouxe aos leitores narrações verídicas de fatos heróicos praticados por profissionais mercantes em situações de extremo perigo.

    As histórias embora tenham se passado em ocasiões e tempos distintos, revelam características em comum: A solidariedade marinheira e a importância da cooperação mútua entre os membros da tripulação.

    Essa semana, para fecharmos com chave de ouro, o nosso homenageado é o CLC Ernesto Calandrini de Azevedo Matos que acabou morrendo para salvar a vida de um grupo de praticantes durante uma operação de instrução.

    Embarcaremos agora em nossa última história da serie que buscou, acima de tudo, homenagear esses profissionais que deixaram, sem sombra de dúvidas,  seus nomes marcados na história da nossa Ilustre e querida Marinha Mercante.

     

    CLC Ernesto Calandrini de Azevedo Matos

    No Comando do N/M ITAIMBÉ, no dia 14 de março de 1976, durante uma instrução em um espaço confinado de CO2 (Gás carbônico) a um grupo de praticantes, o CLC Calandrini percebeu que algo não estava certo: notou que no local onde se encontrava os cilindros que deveriam ser acionados à distância em caso de incêndio, a garrafa piloto havia sido disparada acionando-os(cilindros).

     Espaço confinado é todo lugar que possui entradas ou saídas limitadas ou restritas como por exemplo: Vasos, colunas, tanques fixos, tanques para transporte, containers, containers tanques, box containers, silos, diques, armazéns de estocagem, etc.

    Com a vazão dos cilindros, o ambiente começou a ser inundado de gás carbônico, pondo em risco a vida do grupo de praticantes e do comandante. Com calma e profissionalismo, o CLC Calandrini deslocou o grupo até a escada de acesso que só dava passagem a um tripulante por vez. O cmte, portanto,  coordenou a subida de cada um dos praticantes ficando por último. No momento em que tentou alcançar a escada , infelizmente, o CLC Calandrini desmaiou vindo a óbito por asfixia.

     

    O gás carbônico é mais pesado do que o ar, desloca oxigênio e provoca aumento de acidez no sangue.

     

    O Comandante Calandrini tinha 43 anos e sacrificando sua própria vida, salvou todos os envolvidos naquela situação. Em homenagem a esse herói mercante ou mercante herói, o Lloyd Brasileiro nomeou um dos seus navios com o seu nome.

     

    ok

    Comentários

    Outras matérias interessantes...