• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 5170
    Sem categoria » quinta-feira, 15 de março de 2012 »
    Diário de bordo: O primeiro mês de praticagem.

    Toca o telefone.

    Seria a tão esperada ligação?

    “Boa tarde, aqui quem fala é o embarcador da empresa. Você embarca depois de amanhã.”

    E aí começa a aventura:

    • Arruma as malas pra  passar meses a bordo (o que levar?)
    • Compra coisas de última hora (coisas que provavelmente nem vai usar)
    •  Despede-se dos mais próximos (e dá tempo?)
    • Pega a condução para o porto de embarque (às vezes taxi, às vezes ônibus, outras vezes avião)
    • Embarca com malas (tão grandes quanto o próprio corpo)
    • Passa pela ambientação no navio (nada que o dia-a-dia não faça melhor)
    • Deita na cama pela primeira vez …

    … e pensa: “o que esperar desses próximos meses?”

    Só a bordo  descobrimos finalmente nossa função como um todo: todas as tarefas, toda a correria e toda a maturidade e responsabilidade requeridas. E disso vem o porquê dos salários para oficiais mercantes, serem tão altos.

    .É palestra, é treinamento, é navio que apaga, é lancha que chega, lancha que sai, são programações que mudam (essas são MUITAS), é manobra de fundeio, é manobra de recebimento de óleo,  ar comprimido pra proa,  recado no fonoclama,  extintor pra checar,  diário e bandalho pra fazer,  coisa no paiol pra pegar,  ferramenta pra procurar na oficina,  carta náutica pra marcar… Ufa! Isso quando os problemas não aparecem. E quando você acha que não vai aparecer mais nada novo… sempre aparece! Tem também aquela tal de saudade, que todos disseram que você sentiria. Ela aperta mais a cada dia.

    Mas também vem a satisfação: poder chegar no convés e olhar pro horizonte e ver nada (ou pouca coisa), aproveitar a brisa, respirar fundo e bater aquela sensação de liberdade e ao mesmo tempo de orgulho. Orgulho  de encarar o inesperado, enfrentar o desconhecido e mudar o que achava que seria imutável.

    E ainda não deu tempo de dissertar sobre a sensação de aprender. A sede de conhecimento aumenta a cada dia. E as informações estão longe de esgotar.  Às vezes o cérebro frita, é verdade. Mas depois de um mês de embarque o orgulho vem à tona: “Consegui aprender tanta coisa em tão pouco tempo”.

    Depois de tanto, ainda sim talvez não seja possível responder à pergunta do início deste teor. Mas já foi o bastante pra chegar a várias conclusões. E a principal delas é:

    Singrar os mares não é pra qualquer um! Singrar o mar é para os fortes!390491_254627117926492_100001376177668_653470_1740097485_nd

    Texto por Praticante Oficial de Máquinas (POM) Felipe Costa.
    Foto da proa por POM Felipe Costa. As outras foram retiradas da internet.

    Comentários

    1. Maria Lucia Braggio disse:

      Minha filha está no seu primeiro mes de praticagem.Temos trocado algumas mensagens pela internet e ao ler esse artigo imaginei que seriam essas as suas palavras caso fosse ela a autora do texto.Oro para que Deus guarde a vida desses jovens, que buscaram essa carreira desafiadora, porem necessária a todos nós.Carreira que exige força, garra e coragem.Que em cada navio neste imenso mar a direção de todas esteja nas mãos deste “que silencia os ventos e acalma o mar”. Que o Senhor os abençoe e guarde. Parabéns Praticante Oficial de Máquinas Felipe Costa pelo texto.

    2. Al. Taynan disse:

      Curti muito !! Espero que tenha bons tempos na praticagem,ganhando conhecimentos e experiência. Acredito que será um ótimo profissional ao final desse período.

    3. POM Felipe Costa disse:

      Obrigado pelo carinho, Maria Lucia e Al. Taynan.

    4. Delio Almeida disse:

      Para um aluno brilhante somente poderíamos esperar um texto igual a ele. Gostaria que você lembrasse sempre desta primeira etapa de sua vida profissional. Como colega um pouco mais experiente, fico feliz por ter você como ex-aluno e agora colega de profissão. Vá em frente e que bons mares ajudem a todos os que agora ingressam na aventura marítima.

      Délio Almeida

      P.S. Para a Sra. Maria Lucia. Não faça como minha mãe que há cinquenta anos atrás, quando iniciei minha carreira,não comia peixe porque poderia ter acontecido um naufrágio do navio que eu tripulava e aquele peixe ter comido seu filho.

      Saudações marinheiras

    5. Michelle disse:

      Lindo Texto ,Felipe!!!! Parabénssss POM!!!! 😉

    6. Al Lis disse:

      Muiiiiiiitoooo boa a matéria,Felipe!!! Felicidades *.*  Saudades =/

    7. jose antonio costa disse:

      Muito bem felipe meu chará, é bom ver um jovem empolgado assim como você singrando uma carreira promissora. continue assim e não pare, vá sempre em frente, chute as pedras e pule os obstáculos. Só não se iluda dizendo que o salario de oficial mercante é tão alto assim, num futuro breve você perceberá. saudações marinheiras… 

    8. POM Felipe Costa disse:

      Obrigado a todos pelo carinho! Em especial ao mestre Délio. Gostaria de dizer que me sinto muito prestigiado de ler tais palavras vindo do senhor.

      Ao meu chará: amigo, não sei se consegui me explanar corretamente. Quando disse “alto” me referia às comparações que tenho próximas a mim e aos primeiros salários de outras carreiras.

    9. PON Bianca Barbosa disse:

      Nossa, que lindo! expressou exatamente o que todos queriam mas não conseguem.. e ainda conseguiu tempo diante de toda essa correria pra botar no papel as palavras e pensamentos que surgem o tempo todo! Parabéns e aproveite bastante a praticagem!!!!

    10. alan de carvalho salazar disse:

      Caro irmão, parabéns por conseguir expressar-se bem com as palavras. Creio que seja fundamental em qualquer profissão. Creio também, que todos os nossos talentos devem ser explorados. Porém, sem dúvida, nada supera a sensação de viver intensamente aquilo que amamos fazer. O mar nos inspira pois vem de Deus. Aloha! Bons Ventos o acompanhe!

    11. Renato Barbosa disse:

      Caros leitores

      Essa mensagem é para todos vocês que aspiram essa brilhante carreira.
      A mensagem é nunca desista dos seus sonhos. Sou moço de máquinas um trabalho digno porém bastante cansativo, Sou formado em tecnologo em metalurgia e dentro de mim sempre existiu uma vontade muito grande de vencer na vida. Pensei comigo mesmo ,tenho condições de chegar mais longe e no meu terceiro embarque como moço de máquina passei na prova do asom e cursarei para oficial de máquinas. Independente da posição que ocupamos todos nós temos condições de ir longe depende da garra de cada um. Que esse relato sirva de exemplo para todos os moços e marinheiros que vivem a reclamar da vida. Agradeço a deus,a minha família e a empresa de navegacao elcano por ter me abrido as portas.

    Outras matérias interessantes...

    E a praticagem?17 de julho de 2013
    Práticos, o que são?30 de abril de 2013