• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 1666
    Sem categoria » quinta-feira, 15 de setembro de 2011 »
    Mare Forum South America

    No dia 13 de setembro ocorreu o Maré Forum, um forum internacional para debate. O evento versou sobre o atual cenário do mundo marítimo, as previsões sobre o mesmo e a infra-estrutura da indústria naval (desde a construção à tripulação dos navios recém construídos), salientando-se o relacionamento Brasil-China neste tipo de atividade econômica.

    Dentre os assuntos abordados, levantou-se a questão da defasagem de mão-de-obra qualificada. Os armadores, principalmente, defenderam a contratação de mão-de-obra estrangeira, já que, segundo os mesmos, a quantidade  de marítimos que estão sendo formados no Brasil ainda é insuficiente para suprir a demanda do mercado.
    O diretor da ANTAQ, Fernando Fialho, em sua apresentação, indicou a necessidade de ampliação dos Centros de Instrução de forma a formar mais profissionais para a área de Marinha Mercante.
    Em resposta à questionamentos levantados, alguns brasileiros (componentes da mesa) não descartaram a possibilidade de abrir à iniciativa privada a formação de Oficiais da Marinha Mercante. Entretanto, se mostraram irredutíveis em um primeiro momento à contratação de mão-de-obra estrangeira para tripulação de navios brasileiros.

    Nos dias 12 e 13 de setembro ocorreu o Mare Forum, um fórum internacional para debate. O evento versou sobre o atualMare Forum (1) cenário do mundo marítimo, as previsões sobre o mesmo e a infra-estrutura da indústria naval (desde a construção à tripulação dos navios recém construídos), salientando-se o relacionamento Brasil-China neste tipo de atividade econômica.

    Dentre os assuntos abordados, levantou-se a questão da defasagem de mão-de-obra qualificada. Os armadores, principalmente, defenderam a contratação de mão-de-obra estrangeira, já que, segundo os mesmos, a quantidade  de marítimos que estão sendo formados no Brasil ainda é insuficiente para suprir a demanda do mercado.

    O diretor da ANTAQ, Fernando Fialho, em sua apresentação, indicou a necessidade de ampliação dos Centros de Instrução de forma a formar mais profissionais para a área de Marinha Mercante.

    Mare ForumEm resposta a questionamentos levantados, alguns brasileiros (componentes da mesa) não descartaram a possibilidade de abrir à iniciativa privada a formação de Oficiais da Marinha Mercante. Entretanto, se mostraram irredutíveis em um primeiro momento à contratação de mão-de-obra estrangeira para tripulação de navios brasileiros.

    Comentários

    1. roseli b. noal disse:

      referente a questão ,Mare FORM SOUTH AMERICA, TAMBEM SOU BRASILEIRA E PATRIOTA, SOU CONTRA MÃO DE OBRA ESTRANGEIRA, NOSSO PAIS TEM E PODE TER PROFISSIONAIS QUALIFICADOS BASTA TER BOA VONTADE DAS AUTORIDADES COMPETENTES.

    2. roseli b. noal disse:

      GOSTO DE LER E FICAR A PAR DAS QUESTÕES QUE ENVOLVEM A VIDA PROFISSIONAL DE JOVENS QUE ESTÃO INTERESSADOS E QUEREM ESSA OPORTUNIDADE,E TEM NESSE IMENSO PAÍS MUITOS JOVENS QUE QUEREM OPORTUNIDADES ELES SÃO O FUTURO DA NOSSA NAÇÃO E A MARINHA MERCANTE É UM CAMINHO PROMISSOR.

    Outras matérias interessantes...