• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 3514
    Mercado » quarta-feira, 23 de março de 2011 »
    Modernização do corredor de exportação do Porto de Paranaguá

    paranagua01

    Porto de Paranaguá

    Um notável projeto para cobertura de navios vem sendo estudado pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) com o objetivo de resguardar a carga de navios graneleiros.

    O propósito é implantar uma estrutura que permita o embarque da carga mesmo com chuva, principal causa no atraso dos embarques de granéis atualmente.

    O Superintendente dos portos de Paranaguá e Antonina, Airton Vidal Maron apresentou o projeto ao Ministro dos Portos, Leônidas Cristino e afirmou: “Nenhum porto brasileiro e poucos no mundo trabalham com uma tecnologia deste tipo. O Ministro ficou bastante interessado e estamos estudando a possibilidade de implantar esta tecnologia em Paranaguá”.

    A cobertura exige alta tecnologia e as empresas que podem oferecê-la estão sendo estudadas pela Appa sem previsão de custo. O método consiste em cobrir toda a extensão do navio com lona retrátil e hastes metálicas o que permitirá a operação de navios graneleiros com chuva e ventos, a um ângulo máximo de 45 graus.

    Porões navio graneleiroEstes estudos visam integrar o método ao projeto de modernização do corredor de exportação do Porto de Paranaguá. Atualmente o corredor permite que três navios atraquem simultaneamente. Cada navio é abastecido por dois shiploaders, cada um com capacidade nominal de 1,5 mil toneladas por hora. Considerando esses dados, vemos que o Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá tem uma capacidade nominal de embarque de nove mil toneladas por hora. Em dias sem chuva, o Porto de Paranaguá consegue embarcar até 100 mil toneladas de granéis.

    A construção de píers em forma de T, paralelos ao cais existente também é previsto pelo projeto de modernização do Corredor de Exportação, o que possibilitará a atracação de quatro navios simultaneamente. Cada um dos berços terá dois shiploaders, com capacidade nominal de 2 mil toneladas por hora cada um. Assim o porto chegará a uma capacidade nominal de embarque de 16 mil toneladas hora.

    Os navios de grande porte conhecidos como Cape Size poderão ser recebidos pelo porto devido ao novo corredor. Estes navios embarcam em média 110 mil toneladas de grãos.

    Os navios do tipo “Post Panamax”, que embarcam cerca de 75 mil toneladas de granéis serão recebidos pelos três outros berços que serão feitos. O porto atualmente recebe graneleiros que embarcam, no máximo, 70 mil toneladas de granéis.

    Comentários

    1. Ludatrade disse:

      É uma ótima notícia que o Porto de Paranaguá será reformado para proteger as cargas dos navios graneleiros das chuvas, e também irão aumentar sua capacidade de comportar mais navios. Essa medida deveria ser executada nos outros portos do Brasil, a falta de infra-estrutura e o uso de tecnologias obsoletas prejudicam o escoamento dos produtos brasileiros para os demais países.
      Mesmo assim, no mês de fevereiro as exportações atingiram um recorde de US$ 78,439 bilhões, porém, esse número poderia ser maior se não fosse o estado deplorável dos nossos portos.
      No link abaixo tem mais informações sobre exportação brasileira.
      http://www.ludatrade.com/news/11-03-25-brasil-registra-superavit-de-us-405-bilhoes

         

    Outras matérias interessantes...