• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 3712
    Navios, Vela » sábado, 29 de agosto de 2009 »
    MS Beluga Skysails, o cargueiro à vela

    Quando me deparei com a primeira noticia de um cargueiro à vela, confesso que achei não passar de uma piada. Contudo em Berlim o primeiro navio cargueiro comercial, parcialmente movido por uma “pipa gigante” ,partiu dia 22 de Janeiro do ano passado da Alemanha em uma viagem transatlântica para a Venezuela.

    Os criadores do MS Beluga Skysails afirmam que a vela, controlada por computador e que mede 160 metros quadrados, pode diminuir em até 20% o consumo de combustível do cargueiro.

    cargueiro_vela600

    A primeira viagem transatlântica do MS Beluga Skysails partiu do porto alemão de Bremerhaven com destino a Guanta, na Venezuela.

    Um repórter da BBC esteve a bordo do cargueiro e afirma que o computador permitiu que a pipa gigante aproveitasse a força total do vento.

    “A viagem inaugural marca o início dos testes práticos, durante operações marítimas regulares do sistema Skysails”, disse Stephan Wrage, diretor da Skysails GmbH.

    “Nos próximos meses, vamos finalmente poder provar que nossa tecnologia funciona na prática e reduz de forma significativa o consumo de combustível e as emissões (de gases de efeito estufa)”, acrescentou Wrage no site da companhia na internet.

    O combustível queimado por navios é responsável por 4% das emissões globais de CO2.

    Energia grátis

    “Estamos muito animados”, disse Verena Frank, a gerente do projeto da parceira da Skysails GmbH e Beluga Shipping GmbH.

    Em entrevista, Frank afirmou que o principal conceito do projeto é “usar a energia do vento como uma força de propulsão auxiliar, como uma energia sem custo”.

    “No entanto, é muito diferente da navegação à vela tradicional, póis não temos nenhum mastro no convés, o que poderia ser um obstáculo para as operações que envolvem cargas”, disse.

    skysail-1

    Frank afirmou que a eficiência da pipa gigante ainda depende das condições climáticas, mas a vantagem do sistema Skysails é que “não são necessários apenas ventos de popa, ventos de través também podem ser usados e você ainda pode navegar”.

    Segundo a gerente de projetos, a pipa gigante pode ser usada em cargueiros de tamanho médio, navios de cruzeiro e traineiras.
    O inventor alemão Stevan Wrage conta, também, que a idéia de construir uma vela propulsora de navios surgiu quando tinha 15 anos e seus dois hobbies eram empinar pipas e andar de barco. “A idéia veio depois que percebi a imensa energia gerada pela minha pipa em movimento”, ele descreveu ao jornal britânico The Independent. “No dia seguinte, andei de bote e notei que ele ia muito devagar. Então levantei a questão: por que não podemos usar a imensa energia do vento para movimentar barcos? Nunca entendi isso como impossível”.

    Os investidores, porém, demoraram a acreditar, como Wrage, que o projeto era mais do que possível: economicamente viável. Segundo ele, depois de suas apresentações era considerado um louco. “As pessoas me falavam que não funcionaria, mas ninguém explicava por que achavam isso”, ele afirmou ao jornal britânico The Guardian. Em 2005, porém, o preço do barril de petróleo aumentou acima de US$ 60. “De repente, ficou muito mais fácil de levantar dinheiro”, conta Wrage.

    Ainda assim, há quem não bote fé no Skysails. Mesmo a empresa tendo conquistado mercado nos últimos anos. “A indústria é, por natureza, muito conservadora e cuidadosa”, justificou Edwin Lampert, editor da revista Marina Engineers Review.

    De acordo com uma reportagem da Rede Globo, cada vela do Skysails custa em torno de R$ 5 milhões, ou um pouco mais de € 1,6 milhão, “um custo, segundo os comandantes dos navios que já operam com o sistema, que pode ser recuperado em apenas 50 viagens transatlânticas. Ou seja, em 10 anos, no máximo, o investimento se paga só com a economia que o vento provoca.”

    Agora resta saber se essa moda vai pegar.

    Comentários

    1. João Henrique disse:

      Eu achei muito interessante, faço faculdade de construção naval, e gostaria de saber até que ponto o Skysails seria viavel, como em um auto-propelido na hidrovia tiete-paraná.

      Obrigado

    Outras matérias interessantes...