• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 2187
    Curiosidades, Navios, Pirataria » sábado, 5 de outubro de 2013 »
    Novos patrulheiros navais: os piratas que se cuidem

           NaPaOc é um acrônimo para Navios de Patrulha Oceânica. Como é de se supor, a função deles é atuar, principalmente, na vigilância, inspeção e proteção do mar territorial brasileiro. Internacionalmente, eles são conhecidos como offshore patrol vessels (OPVs). No Brasil, decidiu-se chamá-los desse jeito pela sonoridade indígena da palavra, fazendo alusão à propriedade cultural nacional.

    NaPaOc Amazonas antes de ser entregue

     

            O país possui três novos NaPaOc’s. O Amazonas, Apa Arariguaia, com nomes de rios nacionais, foram adquiridos da empresa britância BAE Systems por R$440 milhôes, em janeiro de 2012, num contrato de excelente custo-benefício. A princípio, os navios eram destinados à marinha de Trinidad e Tobago, mas desistiram da compra. Para evitar o total prejuízo, a empresa, então, vendeu-os à marinha de guerra brasileira por esse preço reduzido, incluindo treinamento e transferência de tecnologias.

          O NaPaOc Amazonas foi o primeiro a ser incorporado, em 29 de junho de 2012. Os outros dois, Apa e Arariguaia, chegaram depois, em 30 de novembro de 2012 e 21 de junho de 2013, respectivamente. Eles possuem um peso deslocado carregado de 2450 toneladas; 90,5 m de comprimento; 2 motores principais, que desenvolvem velocidade máxima de 25 nós; propulsores laterais de proa; raio de ação de 4000 milhas náuticas, a 12 nós; autonomia de 35 dias; capacidade de anexo de duas lanchas e uma plataforma de pouso e reabastecimento de helicópteros. Além disso, possuem equipamentos avançados de sensoriamento militar e de navegação além de armamentos leves.

           Com o início das atividades de exploração de petróleo no pré-sal, a atuação dos navios-patrulha ficará mais frequente no litoral brasileiro. Plataformas de petróleo, embarcações de apoio marítimo e o próprio meio ambiente marinho ficarão mais protegidos sob o poder dissuasivo deles, que, também, combaterão o narcotráfico, o contrabando e a pirataria.

    Comentários