• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 5308
    EFOMM, Mercado, Mundo, Navios » segunda-feira, 13 de agosto de 2012 »
    Principais embarcações de apoio marítimo atuantes no Brasil

    A atividade de apoio marítimo (offshore, como é conhecido por muitos) é o destino da maioria das pessoas que se formam na EFOMM. Apesar disso, o tipo de operação que cada tipo de navio faz ainda é um universo desconhecido para muitos alunos (principalmente no primeiro ano). Este artigo vai dar uma breve visão sobre o tipo de operação de alguns dos navios mais comuns na navegação de apoio marítimo no Brasil. Existem outros, vários outros. No entanto, apenas alguns serão aqui citados.

    1 AHTS – Anchor Handling Tug Supply

    São embarcações com enorme potência de tração, pois são utilizados para manuseio e reboque de plataformas. Além disso, esses navios devem possuir uma grande capacidade de manobra e a tripulação deve possuir precisão durante as operações de recolher e lançar âncoras de plataformas. Esses navios estão muito presentes na costa brasileira atualmente e exigem pessoal altamente qualificado para as operações.

    AHTS em operação com plataforma

    AHTS em operação com plataforma

    2 PSV – Platform Support Vessel

    Esses navios também são conhecidos como barcos de suprimento, uma vez que esta classe de navio é utilizada para suprir plataformas, navios sonda e embarcações maiores. Por esta razão, estes navios devem possuir boa manobrabilidade, conferida por impulsionadores laterais (thrusters) e por motores capazes de desenvolver maiores velocidades e alta potência. Eles abastecem as plataformas de óleo combustível, água potável e industrial, tubulações, ferramentas, alimentos, remédios e produtos químicos. Em suma, eles fornecem produtos de pequeno e médio porte, conforme as necessidades das plataformas da bacia petrolífera.

    PSV Skandi Captain

    PSV Skandi Captain

    3 RSV – ROV Support Vessel

    Essas embarcações dão suporte a operações com veículos de operação remota (ROV). Por isso, devem ser equipadas com sistemas de posicionamento dinâmico e equipamentos auxiliares, além de possuírem tripulação especializada em operações com este equipamento.

    CBO Isabella - RSV

    CBO Isabella - RSV

    4 OSRV – Oil Spill Response Vessel

    São navios equipados com um sistema de contenção de vazamentos e devem ser capazes de inibir o espalhamento de óleo no mar, realizar um eficiente recolhimento e de deslocar-se prontamente para o local em caso de derramamentos. O contrato com esses navios é fundamental para empresas que possuem uma boa política de proteção ao meio ambiente. Essas embarcações são também conhecidas como Oil Recovery. Uma importante característica desses navios é que eles possuem seu sistema elétrico blindado para evitar a formação de faíscas. Essa característica permite a esses navios operar em áreas com derramamento de petróleo no mar, uma vez que o óleo desprende vapores explosivos, que em contato com faíscas poderiam causar um incêndio. Além da barreira de contenção, estes navios possuem tanques específicos para armazenamento e segregação do óleo recolhido, dentre outros aparatos específicos.

    ORSV fazendo contenção em vazamento

    ORSV fazendo contenção em vazamento

    5 Combate a incêndio – Fire Fighting

    São embarcações de apoio e combate a incêndio em plataformas e navios. Para tal, são dotadas de bombas e canhões de incêndio com vazão de nove milhões de litros de água por hora. Algumas embarcações de apoio são dotadas de um sistema fire fighting, sendo assim, incomuns navios que exerçam somente essa função.

    Skandi YarePSV do grupo DOF que exerce as funções de Fire-fighting e Oil Recovery nas bacias de Santos e Campos

    Skandi YarePSV do grupo DOF que exerce as funções de Fire-fighting e Oil Recovery nas bacias de Santos e Campos

    6 Rebocador

    São navios de pequeno porte que possuem motores com grande potência e grandes hélices e destinam-se ao reboque de navios, especialmente em manobras de atracação e podem ser usados no transporte de plataformas marítimas.  Existem dois tipos básicos: os rebocadores portuários, que se aplicam somente ao reboque em manobras de atracação e desatracação em áreas abrigadas; e os rebocadores de alto-mar, que possuem uma maior área de atuação e destinam-se, principalmente, ao socorro de navios que se encontram fora da região portuária.

    rebocador portuário em manobra com navio contêneiro no porto de Paranaguá

    rebocador portuário em manobra com navio contêneiro no porto de Paranaguá

    7 DSV – Diving Support Vessel

    São embarcações de apoio ao mergulho, por possuírem equipamentos capazes de auxiliar na preparação, lançamento e recolhimento das equipes de mergulho, durante serviços de reparo e inspeção de linhas submarinas. São dotadas de grandes acomodações para alojar equipes de mergulho, tripulação e técnicos, além de possuírem compartimentos necessários a mergulhos de grandes profundidades e/ou durações como as câmaras hiperbáricas, importantes para o restabelecimento do nível de nitrogênio no sangue dos profissionais de mergulho, e oficinas dotadas de máquinas e ferramentas necessárias a essas operações, como compressores de ar para abastecimento dos cilindros. Além disso, possuem alta capacidade de recolhimento de náufragos e pontos de pouso de helicópteros, que podem ser uteis no embarque de médicos e equipes especializadas, bem como no desembarque de pessoas que necessitem de atendimento especial.

    DSV Stena Wellservicer, o mais moderno navio de mergulho do mundo

    DSV Stena Wellservicer, o mais moderno navio de mergulho do mundo

    Comentários

    Outras matérias interessantes...

    Tecnologia Ulstein X-Bow26 de março de 2011
    Navios de Apoio Offshore30 de junho de 2009
    A devastação do tufão Haiyan30 de novembro de 2013