• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 3052
    Cerimônias, Cultura, EFOMM, Entrevistas » sábado, 10 de dezembro de 2011 »
    Ator Rodrigo Sant’Anna apresenta a personagem Valéria Vasques à EFOMM

    No dia 08 de dezembro, a Sociedade Acadêmica da Marinha Mercante (SAMM 2011) realizou o encerramento do ano cultural, no auditório Almirante Newton Braga (CIAGA), com a presença do Corpo de alunos da Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante, dos oficiais e de funcionários do Centro. Dessa vez, o espetáculo foi “Comício Gargalhada”,encenada pelo ator Rodrigo Sant’Anna.

    Valéria Vasques: a bonita!

    Valéria Vasques: a bonita!

    “Comício Gargalhada”, seu primeiro Monólogo, surge em comemoração aos dez anos de carreira do ator, uma grande sátira aos comícios eleitorais, uma brincadeira que o possibilita viver, além de dois dos personagens da TV, outros seis. A história começa quando Adelaide (uma mendiga pedinte) invade o Palco-Palanque e começa a falar de sua “plataforma política”, na seqüência ainda tem, o Vanderlay das Almas (sensitivo), Sara menininha (Cantora de Axé), Frango de Padaria, Homossexual Obeso, São Jorge e Adimilson (personagem do Zorra) e a famosa Valéria Vasques (A bandida!), todos interessados em convencer o público de suas campanhas. Entre um personagem e outro, Rodrigo ainda encontra fôlego para contar casos engraçados de sua história.
    O ator se emocionou ao término do show, quando agradeceu o aplauso acalorado do público. O CT Coelho agradeceu, no palco, o artista e o Presidente da SAMM, Denilson, aproveitou o momento para agradecer os presentes pelo apoio a ele prestado ao longo do ano.

    Muito simpático, o ator concedeu uma pequena entrevista ao Jornal Pelicano, antes da peça. Acompanhe:

    Pelicano – Você sempre esteve no ramo da Comédia?
    Rodrigo Sant’Anna – (risos) Na verdade eu sempre falo que as coisas acontecem bem em paralelo. Sem dúvida eu sempre gostei de fazer humor, mas eu comecei a escola como uma escola normal, assim como vocês começam e tem as especificidades que vão escolher ao longo da carreira. E aí foi naturalmente… Fui parar no Didi, no Zorra (Total). Acho que foi uma coisa meio mútua. Mas dizer que sempre estive, acho que não!

    Pelicano – Qual personagem você teve mais dificuldade para interpretar e chegar no resultado esperado, dentre todos que você encena no show?
    Rodrigo Sant’Anna – Ai… (pensou) Bem, acho que São Jorge. Desses daqui que você está falando? São Jorge! Porque eu tinha dificuldades para falar o português e estava muito rápido o processo. Eu já tinha alguma coisa bem encaminhada para os demais e esse eu fiquei sem saber o que seria.

    Pelicano – Quando está no palco, há muito improviso? Já teve crise de risos?
    Rodrigo Sant’Anna – Tem muito improviso, mas ataque de risos não. Já tiveram algumas vezes que eu ri, mas nada que eu não conseguisse controlar. Mas quando eu estou em cena com outra pessoa é mais difícil.

    Rodrigo Sant'Anna

    Rodrigo Sant'Anna

    Pelicano – É fácil lidar com esse sucesso crescente, com tanta gente atrás de você, invadindo a sua privacidade, de certa forma? Isso te incomoda?
    Rodrigo Sant’Anna – Não! Não me incomoda não. Mudam algumas coisas, mas é que internamente eu não me sinto diferente. Então o que mudou é só o exterior mesmo. Eu fico feliz, é mais trabalho!

    Pelicano – Ser indicado como Revelação Masculina no Prêmio EXTRA de TV 2011 representa o quê, na sua carreira?
    Rodrigo Sant’Anna – É a representação de um trabalho, mas… Ponto! Um papel, um símbolo, uma medalha que vocês receberiam.

    Pelicano – Qual a sensação de apresentar-se para um público distinto, com uma platéia de universitários e oficiais militares?
    Rodrigo Sant’Anna – (risos) Ah, que é divertido! Eu vejo o público de uma maneira geral, independente de estar aqui, vou tentar fazer a mesma coisa que eu faço no teatro. Na verdade, quando se faz humor, tem que tentar interagir de uma maneira que você esteja conectado na energia do humor e fazer com que as pessoas interajam dentro dessa mesma energia. E eu tento estabelecer isso independente do público. Então vai ser mais uma platéia, independente da qualificação.

    Pelicano – Qual mensagem você nos deixa aqui na EFOMM?
    Rodrigo Sant’Anna – Boa sorte, alegrias, felicidade, tudo de bom! Que sigam em frente e corram atrás do que vocês idealizam. Tudo de bom!

    Texto e entrevista por Al. Robson.
    Fotografia por Al. Lis.

    Comentários

    1. Lidiane disse:

      Ficou ótimo Robson! Arrasou como sempre!

    2. Al. Robson disse:

      Obrigado, Lidiane! Volte sempre ao site!

    3. ismael diniz disse:

      EU gostei das atividades da marinha.E muito ineressante.GENTE ORE POR MIM PORQUE EU TOU LUTANDO PARA ENTRA NA MARINHA……..ISMAEL DINIZ FEIRA DE SANTANA BA

    Outras matérias interessantes...