• Fotos
  • TV!
  • Links
  • Projeto Memória
  • Sobre o Jornal Pelicano
  • Processo Seletivo EFOMM 2014

  • 2213
    Mercado » sexta-feira, 1 de agosto de 2008 »
    Escola particular poderá formar marítimos

    Este artigo pertence ao acervo do Projeto Memória

    A matéria abaixo foi extraída da Agência Câmara que refere-se ao Projeto de Lei do ano de 2007, do Deputado Rogério Lisboa.

    Lisboa: contingenciamento impede Marinha de investir no ensino

    O Projeto de Lei 2212/07, do deputado Rogério Lisboa (DEM-RJ), permite a formação de marítimos em instituições particulares credenciadas, de forma a atender a demanda do setor.Atualmente, o ensino profissional marítimo (preparação de pessoal da Marinha Mercante) só pode ser ministrado pela Marinha.

    Segundo o projeto, os profissionais formados em instituições privadas somente poderão exercer a profissão se forem aprovados em exame de certificação de conhecimentos e habilidades, a ser aplicado pela Marinha.

    Falta de profissionais

    O autor argumenta que o contingenciamento de recursos tem impedido a Marinha de investir na expansão do ensino de marítimos, apesar do alerta de especialistas sobre a insuficiência desses profissionais para operar as embarcações nacionais.

    “O quadro se agrava ainda mais com o esperado crescimento da economia, uma vez que são necessários vários anos para se formar um profissional com a capacitação exigida para operar embarcações”, diz o deputado.

    Lisboa ressalta que a Marinha forma 230 marítimos por ano. Um estudo do Ministério de Minas e Energia aponta, no entanto, para a necessidade de formar pelo menos 570 para atender a demanda de crescimento do País.

    Tramitação

    O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Educação e Cultura; de Relações Exteriores e de Defesa Nacional; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. O projeto altera a Lei 11.279/06, que trata do ensino na Marinha. (Fonte: Agência Câmara – Brasília, DF)

    Acredito que para muitos de nós esse projeto não é bem visto. Apesar de todos os argumentos (baseados em fatos ou não) fornecidos pelo Autor do projeto, e ainda sim, não é o caso para se criar uma Lei que autorize as demais Faculdades a ministrar esse tipo de curso.

    Para aqueles que se assustaram com a matéria: fiquem um pouco mais tranqüilos, por esse projeto pode demorar a sair, pois precisa da aprovação da Comissão de Educação e Cultura, Ministério da Defesa, e de Constituição e Justiça e de Cidadania – ou seja, não é tão fácil quanto parece criar um projeto assim.

    Comentários

    Outras matérias interessantes...